segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Porque é que eu detesto este país

Uma tarde à espera de um pintor que não veio pintar.
Às vezes apanho uns estalos de "get back to reality, ainda estás em Portugal". Há coisas que só acontecem nesta terra, é um facto. Não é por estar a mudar de país que digo isto, (in)felizmente, sempre o disse. Este país não anda para à frente e as razões são várias. Por vezes, aquelas que parecem insignificantes são a base de uma sociedade que assenta em fracos pilares. É uma questão de tempo até que eles cedam.

Comprei (aliás, compraram-me) uma casinha piquinita mas muito querida para viver. Não só ganhei a minha independência (que tinha também tido enquanto estive em França a estagiar) mas também fiquei mais perto do trabalho e de outras coisas que me interessavam. Ao fim de pouco tempo de vir para aqui reparei que tinha uma infiltração pois apareceu uma mancha típica na parede. Descobriu-se rapidamente que viria da minha própria casa de banho e um pouco de silicone resolveu o assunto... da infiltração mas não da mancha. Combinou-se com o construtor que viria então o pintor tratar do segundo assunto. Foram precisos vários faxes e telefonemas... e ainda tenho nem 1m2 por pintar no meu quarto!!! Na semana passada o Sr Pintor aparece cá em casa (para quê telefonar a combinar uma data, basta aparecer pelas 3 da tarde, se eu estivesse a trabalhar dava com o nariz na porta, mas o problema era meu, não é?) e combinámos que viria cá 2ªf às 14h30. [Já no passado uma vez o Sr Pintor combinou com os meus pais data e hora para a pintura e só quando os meus pais já vinham a caminho é que o Sr teve a amabilidade de avisar que não vinha]. A Restelo fica cá em casa, apesar de ter, como devem imaginar 300milhões de coisas para fazer. A espera torna-se impossível quando são 15h30 (sim, eu consigo ser paciente, mas isto teve o seu preço como verão já a seguir). Telefono para o construtor que tenta telefonar para o Sr Pintor que lhe desliga o telefone (e pensam voçês, para lhes desligar o telefone, se calhar o pobre coitado estava nas urgências do hospital, entre paragens cardíacas) mas que mesmo assim me dá o número. O meu lado stalker telefona meia dúzia de vezes e este não responde. Restelo volta a ligar à construtora e desanca a senhora que lhe atende ameaçando DECO e envio de factura à construtora (Restelo trataria de pintar ou arranjar quem pinte e debitaria também custos de chamadas e outros pelo que nos prejudicaram).
Meu dito, meu feito.
Daí a nem 5 minutos o Sr Pintor estava a porta a desfazer-se em desculpas (tinha faltado um colega bláblá...). Restelo não intimidada pelos 2metros e ar forte do Sr, desanca-o também enunciando outros argumentos como "se eu tivesse pedido o dia à minha empresa, quem é que mo pagava!?" e em ar furioso questinou "agora, vou ter de esperar mais 2 anos?". O Sr voltou a desculpar-se e disse que amanhã o assunto fica tratado, nem que venha ele fazê-lo!
Ai dele que não venha cá amanhã! Ele não me quer conhecer REALMENTE furiosa!

4 comentários:

Vanessa disse...

Por estas e por outras é que Portugal "não sai da cepa torta," como se costuma dizer.
Adoro o meu país, tenho muitas saudades, mas só o facto de saber que as coisas aí é para se irem fazendo dá-me um arrepio...
O sistema de Portugal é mesmo uma m&*/%
Não sei quando é que vai melhorar... mas se melhorar, ainda vai levar um tempinho.
;)

Morceguinho disse...

pois, cenas clássicas mesmo...
mas acredita quando te digo que nao é só em Portugal que coisas dessas acontecem... lembra-te do meu affair com a T-Com na suposta terra da eficiência...
A nossa terrinha está perdida, desorientada, à espera de dias melhores. Que venham! rápido!

Headache disse...

Bolas

Qualquer coisinha e a culpa é do país? Dass...

Como disse a morceguinho, até parece que lá fora corre sempre tudo bem, à primeira

Restelo disse...

Headache: Isto tem a ver com a mentalidade do país.
A Morceguinho demorou a ter net porque eles estiveram em greve. E lá quando é greve, é greve, e tudo para por completo durante muito tempo. Não é como aqui que greve dura 1 dia e acabou ou, na melhor da hipóteses como se passa na TAP, estão em greve 3 dias, depois trabalham 4 e depois... Também não concordo com as greves que não fornecem os serviços mínimos porque lá porque eles estão em greve, não quer dizer que eu esteja... bem não vou continuar porque isto já quase dava quase um post.