quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

LINDO

Ontem fui a Londres ver La Bohème à ENO. A produção está muito boa, cenário simples mas bem feito, bons cantores, boa música, enfim nota alta para o evento. Sou pouco conhecedora de ópera por isso não vou fazer muito mais comentários a este nível. Posso contudo dizer que acho a história um pouco desiquilibrada. Enquanto no primeiro acto Mimi e Rudolfo estão quase na sombra de Musetta e Marcello, no segundo os "papéis" invertem-se. Na verdade acho a primeira parte pouco interssante. No total oposto do espectro, está o segundo acto, que é simplesmente maravilhoso, não só pela história, mas também pela música que dá (finalmente) hipótese a Mimi e Rudolfo de brilharem. E neste caso, que brilhante que foi! Melody Moore tem uma voz especial e muito bonita e não deixei de reparar que mesmo quando cantava sentada, a qualidade não diminuia. Isto permite-lhe interpretar muito bem o papel de Mimi quando esta está extremamente doente. Rudolfo foi interpretado pelo tenor Britânico, Alfie Boe.

Acreditem que saí de lá a levitar. Caminhei até ao metro e pensava "EU CONTINUO A AMAR ESTA CIDADE!".

5 comentários:

Miss Kitty disse...

Que sorte!!! Também quero....:)

BJS*

laetitiasweeneyrose disse...

Quem me dera viver em Londres!! Sortuda ;) Beijo

Tito disse...

Eu nem quero imaginar como é a La Bohème em inglês. Como é mutil... cantaram o Che Gelida Manina? Such a Cold Little Hand??

É o problema da ENO: só cantam em inglês. Eu ia lá para ver óperas originais em inglês, assim sabia que não estava a ouvir nenhuma tradução.

Queres ver óperas ainda melhores vai à ROH! Tens é de comprar bilhetes com 6 meses de antecedência!

Londres é sem dúvida fantástica. Não como este fim de mundo onde estou agora.

Beijos
Tito Casquinha

Restelo disse...

Tito: uma das particularidades da ENO é que todas as óperas são em inglês. Acho que é daquelas coisas que primeiro estranha-se e depois entranha-se.
Já fui à ROH mas ver ballet. O problema da ROH (ou vantagem da ENO) é que apesar da sala ser mais bonita, há mais lugares maus... Outra desvantagem é a que mencionas, tudo esgota muito rápido e no meu caso conheço uma pessoa que trabalha na ENO, por isso ontem tive direito a reception drinks & finger food e conversa com Martin Fitzpatrick. Sorry, mas neste caso a ENO esteve, para mim, MUITO BEM!

Marshmallow disse...

Deve ter sido um programa espectacular!!
Eu tenho um carinho muito especial pela La Bohéme.Foi a 1ª ópera a quer assisti.