terça-feira, 6 de julho de 2010

Dúvidas

Ando cheia de dúvidas acerca do meu novo trabalho. Por um lado estou a trabalhar para umas das pessoas mais seniors a nível da companhia inteira (bom, digamos que entre mim e o Board of Management tenho ela e o chefe dela), que tem imenso conhecimentos, que tem reconhecido o meu trabalho e na 6ª quando me reuni com ela estava muito contente com o progresso que tenho feito, que me tem permitido conhecer montes de gente, põe me lado a lado com pessoas que são bastante mais seniors que eu e eles vendo para quem trabalho, tratam-me como igual... Por outro lado não sei se estou a gostar muito do que faço... Tenho muito que fazer e algum stress que é algo com que trabalho bem. Foram me dadas bases de trabalho que eu vejo como algo que não me permite ser muito criativa, que outros provavelmente adorariam ter. Não sei se é o meu espírito de fundamental researcher a falar mais alto... Também de certo modo não tenho sentido de ownership pois as ferramentas que estou a preparar são para ser usadas por outras pessoas e vão ser do grupo para quem estou a preparar. Também já me disseram que eu deveria ver essas ferramentas como minhas pois sou eu quem as está a preparar...
Isto soa um bocado mal pois se por um lado estou a gostar do que estou a fazer, ou de algumas componentes do trabalho, acho que na verdade o que se passa é que me falta algo...

3 comentários:

Sophie disse...

Na minha humilde opinião (eu própria sou um poço de dúvidas),acho que se, em parte, estás a gostar deves continuar...pelo menos até perceberes com mais clareza o que realmente falta, e se isso substitui o que fazes ou se pode ser um complemento...

Beijinho,boa sorte!

Poetic GIRL disse...

Quem sabe aquilo que achas que te falta não acaba mesmo por aparecer ou se desenvolver? Dar tempo ao tempo, é o segredo. bjs

Ite Ramos disse...

Eu acredito que toda profissão, em determinados momentos, deixa uma lacuna, um vazio. Acredito também que isso é inato do ser humano que é insaciável de novidades e tem uma cobrança mto grande consigo mesmo, sempre achando que pode ser e fazer mais. Ou mesmo o grande volume de sonhos e aspirações que passam pela nossa cabeça.
Abraço.
www.falarsemcalar.blogspot.com