terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Doces, ou a razão pela qual eu não gosto do Natal

Continuamos com o tema dos morfes. Estamos na época Natalícia, esta porreta impõem-se caramba! Lembrei-me deste tema porque hoje no emprego houve lá um “evento” onde estavam a servir Mince Pies (empadinhas doces com recheio de passas e mais qualquer coisa que eu não consegui identificar; eram engolíveis, sabiam àquelas bolachas, as Sultanas).
Uma das coisas que eu detesto no Natal são os doces. Parece incrível para uma adoradora de chocolate, mas se forem a pensar, eu tenho muitas razões para prove my point! Aqui vão as coisas que não passam pela minha laringe:
1- frutas cristalizadas – porque são muito doces
2- passas (salvo raríssimas excepções e a passagem de ano não é uma delas) - idem
3- sonhos – idem e têm sempre óleo a mais
4- rabanadas - idem, idem, aspas, aspas
5- broas (as do natal, não o pão) – não gosto e prontos
Portanto, à excepção do tronco de Natal e de uma Lampreiazita com fios de ovos, não como mais doce nenhum.
THE BIG PROBLEM: as pessoas têm o hábito/tradição/costume perfeitamente descabido de senso de pousar as obras de arte açucaradas logo na mesa enquanto a ave vai acabando de passar pelas brasas. Conclusão: a Restelo fica enjoada só de olhar para a mesa e quando chega finalmente o prato principal, depenica qualquer coisita e espera impacientemente pela primeira oportunidade de criar uma distância de segurança da Távora Redonda.

2 comentários:

Aisling disse...

Eu tenho o mesmo problema... No entanto no ano passado acabei por resolvê-lo: levei para a mesa uma molotoff e um belo de um semi-frio de ananás... ;)

Beijinhos

Restelo disse...

Trás pa mim, trás pa mim!!!