terça-feira, 17 de junho de 2008

Isto é difícil

O que me tem atormentado nos últimos dois dias, ou melhor, 7 meses, é o facto da minha meia laranja não estar cá comigo. Tem sido difícil, admito. Já estávamos a viver juntos em Portugal e estarmos assim separados não tem sido fácil. Já há muito tempo que queria sair de Portugal e cheguei a não ir a uma entrevista em Paris porque para aí ele não queria ir. Contudo, se fosse num sítio em que se falasse inglês, já estaria bem.
Sinto muito a falta dele e o facto desta casa precisar por vezes da força e coragem masculina também não ajuda. Inicialmente ele tinha pensado arranjar cá um emprego e vir também. Contudo, apesar de variadas tentativas, ele não conseguiu o dito emprego. Neste momento o mercado de emprego no UK não está a passar por uma boa fase pelo que o "vir à aventura" seria certamente um plano furado. Para além disso, deep-down, ele não quer verdadeiramente vir para cá. Já concluimos isso e é melhor assim. Ao menos sei que ele não virá e decisões que eu queira tomar quanto à minha vida (nomeadamente outra casa ou, quem sabe, mudar de país) não estão dependentes de mais ninguém. Eu prezo bastante a minha independência e liberdade. Claro que custa saber que ele não virá, mas ao menos não há mais dúvidas nem tempos a pensar em "quando ele vier".
Podem-se perguntar, tal como eu fiz, porque é que EU não vou para Portugal. A resposta é fácil e óbvia. Lá não encontrarei um emprego e um chefe que goste tanto. As políticas de chefia no UK são bastante diferentes das de PT. Já tive um emprego em Portugal e acabei por detestar aquilo, em parte por causa de um chefe que não sabia gerir pessoas. Um bronco, um incompetente e os maus resultados da firma eram em parte causados por ele. Ele que se achava PERFEITO, claro! Além disso, R&D em empresa em Portugal é praticamente inexistente e eu não quero ir fazê-lo para uma Universidade ou um Instituto.
Ainda para mais, as coisas estão a correr muito bem no meu emprego. Apesar do salário ser baixito, vai dando para pagar as contas e poupar um bocadinho. O que está aqui é jogo é sobretudo a felicidade profissional, que tem um papel muito importante na minha vida, nomeadamente na minha saúde mental. (In)felizmente o meu emprego é muito importante para mim. Preciso de um emprego que goste para estar bem. Eu não quero abdicar do que tenho aqui!
Ele não quer vir.
Eu não quero ir.
Vamos continuar assim, em países diferentes. No mesmo fuso horário. Separados por 2h30 de avião.

8 comentários:

Thunderlady disse...

Coragem nessa situação :) Força!

Restelo disse...

Obrigada Sapatinhos!

Paula disse...

Ui!
Realmente, é difícil...
Mas acho que também, tu vires para cá e ficares sem emprego, não te vai trazer felicidade nenhuma.
Sim, que essa história de amor e uma cabana, já era...
Por enquanto e até arranjarem outra solução, também não estão assim tão distantes.
É o mesmo que estares tu no Algarve e a tua meia laranja, em Bragança.
Só que, ao invés de viajarem de carro, viajam de avião, que é mais chique ( e mais carito)!
:)
Força, para os dois!
Bjs!

@me@@@ disse...

deve ser de facto uma situação mto dificil, mas uma coisa tenho a certeza, és uma pessoa com os pés assentes na terra e sabes bem o que queres, e isso é fundamental no equilibrio e bem-estar de qualquer pessoa, qto ao relacionamento... melhores dias virão, decerto que encontrarão um meio termo, se é que não o encontraram ainda...

Thunderlady disse...

Ahahahah, sapatinhos... Já me vou a rir!!

Bjokas. Tenho a certeza que o arroz estará... comestível.

Tuga em Londres disse...

Ele já está decidido a nao vir mesmo? É assim, desde que saibam que mesmo que demore 1 ou 2 anos, voltam a estar juntos ou porque ele vem ou porque tu vais, assim conseguem manter uma relacao á distancia a visitarem-se 1 a 2 vezes por mes. Agora tem e que haver alguma luz ao fundo do tunel para se conseguir manter essa situacao. As relacoes á distancia nao sao impossiveis. Um colega meu que é Alemao já esta aqui a trabalhar ha mais de 1 ano e sempre manteve a namorada na Alemanha, vivendo aqui em Londres de segunda a sexta e todas as sextas vai passar o fim-de-semana a Alemanha com a namorada. E agora, á cerca de 1 mes atras casaram-se. Ele continua a viver em londres de segunda a sexta e ir aos fins-de-semana para a Alemanha. E aparentemente resulta bem. Espero que voces tambem consigam encontrar alguma forma para resultar bem.

Gi disse...

Mas, pelos vistos, vocês conseguem conciliar o vosso amor ... e isso é que é importante (olha que sei do que falo ;)

Margarida disse...

É, sei de imensos gajos que foram para fora e passado uns tempitos já tinham lá as namoradas. Agora, ao contrário??? Serem eles a virem ter connosco, a adaptarem um bocadinho as suas vidas??? É mesmo assim, ainda estamos muito longe da igualdade...
aqui me tens, se precisares. E se não precisares também. Beijinhos.